Esta não lembrava ao careca…

Esta não lembrava ao careca…

Neste tempo em que o tempo corre mais rápido do que o próprio tempo fico deveras preocupado com a tentativa de destruição do ser humano. POR FAVOR, NÃO ME CORTEM A RAIZ AO PENSAMENTO, porque parte da raiz do cabelo já foi!

O texto, a seguir, publiquei-o, aqui, creio, que em 2016:

--------------------------------------------------------------------------------

ESTA NÃO LEMBRAVA AO CARECA… Vem aí a sociedade algorítmica…

A não ser que haja um a nova ordem mundial, em termos de humanidade, em que as pessoas sejam o centro das decisões, não acredito, provavelmente, nos anos que me restam de vida que as coisas melhorem. Vem isto a propósito, da nova suposta visão para resolver os problemas da humanidade, com o conceito assustador da Sociedade Algorítmica. Vamos supor, por hipótese, que os indivíduos são classificados por meios cibernéticos, valendo-se das Redes Sociais, em grupos de perfis e que essas e outras inúmeras variáveis são introduzidas num potente programa algorítmico de computador para se encontrar uma solução “lógica” de empregabilidade. Isto seria uma enorme derrota em termos de humanidade, aumentando, assustadoramente, o rácio de excluídos/incluídos.

Peço-lhes uma boa reflexão sobre o assunto e para os mais interessados recomendo a leitura Do artigo de opinião do Professor da Universidade do Algarve, António Covas, em https://observador.pt/opiniao/vem-ai-a-sociedade-algoritmica/

922811_902203973229163_8971635453781361231_n

Manuel Gonçalves Carvalho