7º e 8º BIÉNIO 1987/1990 - Manuel Serafim Viegas

7º e 8º BIÉNIO 1987/1990 - Manuel Serafim Viegas

7º BIÉNIO 1987/1988

Mesa da Assembleia Geral:

Aníbal Tomé Romano, Fernando dos Santos, José Florêncio Pereira Novais de Oliveira, José Pereira dos Santos, José Augusto Manaia e Albino Simões Mateus.

Conselho Fiscal:

José Gonçalves Madail, Vítor Manuel Horta, António Jorge Amaral, Margarido, José Júlio Marta e Carlos Cleto Ferreira Neves.

Direcção:

Manuel Serafim Viegas, Carlos Manuel Teixeira Carvalho, António, Pereira da Palma, António Esteves dos Santos, José António Frade, Armando Pereira dos Santos, Carlos Alberto Rebola Pereira, Joaquim A. P. Plácido e Faustino Dias Varela.

3ª Comissão Administrativa da Delegação:

Coordenador principal – José António Frade, Vice - coordenador - António Manuel Pinho Freitas, Tesoureiro – António José Horta Rodrigues

8º BIÉNIO 1989/1990

Mesa da Assembleia Geral:

Aníbal Tomé Romano, Artur Alberto Abegão da Cruz, Joaquim Ferreira da Silva Monteiro, João Laurindo Mira Falé, André Joaquim Rosado Merendas e António Lopes Peixoto.

Conselho Fiscal:

José da Silva Mateus, Manuel Vieira, Jorge Francisco Boldt, Manuel José dos Santos António e José Inácio

Direcção:

Manuel Serafim Viegas, José Augusto Matos, Manuel Esteves Fernandes, Victor Manuel do Nascimento Costeira, Victor Manuel Horta, Benjamim Jesus da Silva, Manuel de Lima Ramos, José Manuel da Silva Ramos Vaz e Joaquim Gabriel Laureano Martins.

4ª Comissão Administrativa da Delegação:

Coordenador principal – Victor Manuel Horta, Vice - coordenador - Franquelim Duarte, Tesoureiro – Manuel Augusto Gonçalves, Secretário – Joaquim Maria Guerreiro.

Vogais: António P. G. Araújo, António Santiago, Armindo M. Capelo, Orlando Sebastião, Albino S. Mateus, Manuel S. Pintor, Álvaro C. Gomes, Armando P. Fontainhas, Artur C. da Silva, Joaquim P. Santos, Jorge M. Ventura Lavado, Fernando A. das Neves, João M. E. Santos, Joaquim J. Gomes, Faustino A. Lança, Carlos R. Encarnação Campos e José António Lopes

7.º e 8.º Biénios 1987/88 e 1989/90, cujas equipas tiveram como Presidente da Direcção Manuel Serafim Viegas, o 1º Presidente a fazer dois mandatos seguidos. Além das actividades correntes destes dois mandatos, deve referir-se o esforço feito para pagar as instalações da Delegação, tendo a partir desse momento, sido dado mais um importante passo no reforço e estabilização do Clube. Que segurança e alívio para os dirigentes e massa associativa saberem que as instalações da

Delegação estavam quase pagas e, definitivamente, pertença do CSA!

Entretanto, a luta contra a expulsão da Sede que se vinha mantendo, não permitiu aos dirigentes e a todos os que tinham consciência das dificuldades e perigos que advinham dessa expulsão, saborear bem o êxito de verem a Delegação quase paga. Era preciso recorrer da sentença

dada pelo Tribunal do 11º Juízo Civil, para o Tribunal da Relação.