31-5-2017 - Dia Nacional das Colectividades

31-5-2017 - Dia Nacional das Colectividades

Com o salão do novo edifício da Assembleia da República completamente cheio, realizou-se a comemoração do 93º Aniversário da Confederação Portuguesa das Colectividades de Cultura Recreio e Desporto, CPCCRD.

Após saudar e agradecer a presença de todos os presentes, dirigentes associativos, deputados, representantes de todos dos grupos parlamentares com excepção dos do PSD e CDS,  o Presidente da Mesa do Congresso da Confederação, Barbosa da Costa, deu inicio aos trabalhos.

Dando a palavra ao presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, que agradeceu e sentiu-se honrado pelo convite que a Confederação lhe endereçou para presidir á secessão. 

Começando por realçar a   importância do movimento associativo popular, dizendo que em muitas terras, as colectividades são a única forma de participação social das populações, salientando os muitos milhares de colectividades, dirigentes e associados  existentes em todo o pais e que o reconhecimento do dia Nacional das Colectividades pela lei 24 de 2003, não foi por acaso, mas sim a consequência da luta e do trabalho do Movimento Associativo.

Seguidamente usou da palavra o Vice- Presidente da CPCCRD, Sérgio Pratas, que apresentou a proposta da CPCCRD sobre a:

Revisão da Legislação Associativa “Qualificar a Democracia”   

Por fim, usou da palavra o presidente da direcção, Augusto Flor, que começou por apresentar além das Associações e Federações da Confederação, as suas estruturas, assim como as várias famílias associativas, presentes, nomeadamente a Confederação do Voluntariado, a Federação das Bandas, Federação do Teatro.

Os representantes destas famílias associativas, nas suas intervenções todos salientaram a importância da actividade da Confederação e do Movimento Associativo Popular e, ali foi deixado o grito: Não deixai que o teatro desapareça das colectividades.

Seguidamente passou-se à entrega dos galardões.      

Veio o momento cultural com o grande Guitarrista Fonseca. que nos deliciou com a sua arte.

Terminando a sessão com os Hinos  da Confederação e Nacional.